fffdfdfdfd

07/07/2011 14:10

Contratar estrelas virou a especialidade do Corinthians nos últimos anos. Ronaldo, Roberto Carlos e mais recentemente Adriano chegaram ao clube em negociações badaladas, com salários de padrão europeu. Mas o time dos milhões não vive apenas de craques. Enquanto Tite quebra a cabeça para escolher os titulares do setor ofensivo, os volantes Ralf e Paulinho não dão espaço à concorrência e mantêm viva a tradição do Alvinegro em criar duplas de volantes de sucesso desde 2008.

Se o ataque não funcionou como de costume contra o Vasco, os marcadores trataram de resolver o problema. Ricardo Gomes armou uma formação defensiva na tentativa de explorar os contra-ataques. Não deu. Willian, Liedson e Jorge Henrique não apareceram tanto, mas Ralf e Paulinho fizeram os dois gols da virada e ainda bloquearam qualquer ação na tentativa de o adversário reagir (veja os lances no vídeo acima).

- Os volantes foram muito bem. Nossa equipe é solidária. Todos precisam ser porque, se um não fizer, vai estourar. Pagamos um preço para vencer, que é a marcação - afirmou o técnico Tite.

Desde a disputa da Série B, o Corinthians vem se destacando em formar boas duplas de marcadores com jogadores em baixa ou desconhecidos. Em 2008 e 2009, período em que o clube conquistou a Segundona, o Paulistão e a Copa do Brasil, Cristian e Elias comandaram a ligação entre defesa e ataque. O primeiro estava fora dos planos do Flamengo depois de entrar em atrito com o técnico Caio Júnior. No Timão, viveu o melhor momento da carreira e deixou saudades. Hoje, atua pelo Fenerbahce-TUR.

Já Elias foi contratado depois de brilhar como armador na campanha que levou a Ponte Preta ao vice-campeonato estadual de 2008. Nas mãos de Mano, virou um importante “homem-surpresa” no ataque, fez gols em jogos decisivos e passou até a ser convocado para a Seleção Brasileira. No fim do ano passado, acabou negociado com o Atlético de Madri-ESP