Veja que estratégias de investimentos se adaptam ao seu perfil

24/07/2011 12:07

SÃO PAULO – Existem diversas formas e estilos de investir em ações. As estratégias usadas, os conceitos e os diferentes tipos de análise vão depender, principalmente, do perfil do investidor e da sua experiência com o mercado de renda variável.

De acordo com especialistas, o mais importante é que, antes de olhar para o mercado, o investidor identifique qual é o seu próprio perfil e o que ele espera do investimento em ações.

“Qual o seu objetivo com o investimento? Você vai precisar do dinheiro em um prazo curto ou longo? Este tipo de estratégia tem a ver com o seu perfil? Estas são algumas das perguntas que o investidor deve se fazer”, afirma a supervisora do Easynvest, Aline Rabelo.

Para os investidores que operam com vistas no longo prazo, existem algumas estratégias de compra que podem ser utilizadas. Conheça algumas delas:

Investimento em valor (value investing)

Os investidores de valor procuram por ações de empresas cujos preços estão abaixo do que elas realmente valem, por conta de alguma distorção do próprio mercado.

Assim, a ideia é ganhar na diferença entre o preço pago (abaixo do que ela vale) e uma futura correção e consequente valorização dos seus ativos. “Usando uma metáfora, é como se você estivesse passando na frente de uma loja e visse uma grande promoção”, afirma a a supervisora do Easynvest, Aline Rabelo. “O investidor de valor busca empresas mal avaliadas ou subavaliadas”, completa.

Como incentivo para quem pretende usar este tipo de estratégia, basta dizer que um dos maiores entusiastas do value investing é o bilionário norte-americano Warren Buffet, conhecido por ser o investidor mais bem sucedido do mundo.

Investimento em crescimento (growth investing)

De acordo com a supervisora do Easynvest, este tipo de investidor é bastante parecido com o investidor de valor, já que ambos estão em busca de oportunidades e ações de empresas que ainda podem vir a performar melhor.

No caso do investidor de crescimento, a maior preocupação é se aquela empresa tem tido um crescimento acima da média e se existe um grande potencial de expansão futura. “Quem investe nestas empresas tem expectativa de que a empresa tenha um crescimento expressivo, afirma.

Muitas vezes estas empresas são menos conhecidas e podem ter ativos mais voláteis, que oscilam mais devido à baixa liquidez. Entretanto, o investidor deve se preocupar com o potencial de crescimento e as expectativas de longo prazo.

Dividendos

Existem também aqueles investidores que se preocupam com o pagamento de dividendos pelas companhias e buscam investir naquelas que pagam mais. “O mais importante é olhar o crescimento do valor pago em dividendos ao longo do tempo”, afirma Aline.

As empresas do setor elétrico, que possuem o caixa mais consolidado e que têm menor necessidade de investimento, costumam pagar dividendos mais expressivos.

Blue chips

Muitos investidores também optam por adquirir apenas papéis de grandes empresas e que possuem uma liquidez bastante elevada (conhecidas como blue chips). “O investidor de blue chips procura por empresas sólidas e não se importa muito se o mercado está em queda ou em alta”, afirma Aline.

Ela lembra que estes investidores costumam ter a estratégia de "buy and hold" (comprar e segurar). “Eles mantém a estratégia, independentemente das oscilações dos ativos. Estão em busca de valorização no longo prazo e acreditam no crescimento e nos fiundamentos da empresa ”, afirma.

Estratégias de longo prazo

A supervisora do Easynvest lembra que todos os estilos citados se referem a investimentos de longo prazo, ideal para diluir os riscos dos investimentos em renda variável.

“O investimento em ações é sempre de risco, mas quando você opera no longo prazo, este risco diminui. Se a intenção for comprar e vender daqui a um mês ou até menos do que isto, o risco aumenta muito e as estratégias seriam outras”, ressalta.

Análise fundamentalista

O diretor da Valore Investimentos Personalizados, Sérgio Quintella, lembra que  esses investidores, especialmente aqueles que olham para o valor atual e o crescimento da empresa, precisam utilizar os conceitos da análise fundamentalista, que analisa os balanços e números da companhia.

Por isso, é importante conhecer e entender pelo menos o básico deste tipo de análise ou então se basear em relatórios das corretoras que identifiquem possíveis oportunidades baseadas nos fundamentos.

“No começo não precisa se preocupar em ser um analista e saber tudo o que está escrito no balanço. Mas é importante entender por que está comprando, por que o analista está indicando, quais são as perspectivas e fundamentos daquela análise”, afirma Quintella.

Segundo ele, o mais importante é saber analisar os múltiplos de mercado, que são calculados dividindo variáveis como valor de mercado da empresa por uma série de indicadores presentes nos demonstrativos financeiros, como valor patrimonial, lucro estimado, fluxo de caixa. “Não precisa nem ir muito além disso”, diz.

 

Infomoney