O que faz do tubarão o mais temido predador do planeta?

 O que faz do tubarão o mais temido predador do planeta?

Achar comida também não é difícil para ele, graças a seus sete sentidos ultra-apurados, dois a mais que os de suas presas: sensibilidade à eletricidade e às correntes marinhas.

Além do tamanho – que pode chegar a 12 metros de comprimento –, esse animal possui mandíbulas fortíssimas, capazes de exercer pressão de até 140 quilos por centímetro quadrado. “Ele também é extremamente ágil, graças ao esqueleto leve e flexível, feito de cartilagem”, diz o biólogo especializado em tubarões Otto Gadig, da Universidade Santa Cecília, em Santos. Achar comida também não é difícil para ele, graças a seus sete sentidos ultra-apurados, dois a mais que os de suas presas: sensibilidade à eletricidade e às correntes marinhas. Seu olfato detecta uma única gota de sangue diluída em 1 000 litros d’água e identifica, mesmo a 400 metros, de onde vem esse cheiro. Para completar, sua visão, sete vezes mais potente que a nossa, funciona sob quase nenhuma luz.

Mas o aspecto mais aterrorizante do tubarão – e que o ajudou a se manter no topo da cadeia alimentar por mais de 400 milhões de anos – é a ferocidade e a precisão com que avança sobre as vítimas. Espécies como o grande tubarão branco – o mais perigoso de todos – treinam suas habilidades de caçador antes mesmo do nascimento. Os embriões disputam espaço devorando-se uns aos outros dentro do útero da mãe, para que nasçam poucos indivíduos, mas todos fortes o suficiente para não serem predados por outros animais. Ainda assim, ele está ameaçado de extinção – donde se conclui que o pior predador é mesmo o homem.

Percepção matadora

Anatomia hipersensível é o segredo do tubarão branco

Sensores de eletricidade

As ampolas de Lorenzini – poros com longos canais que se espalham pela cabeça – detectam até os mais fracos campos elétricos, equivalentes ao da batida cardíaca de um peixe pequeno. Elas também orientam o tubarão de acordo com o campo magnético terrestre

 

Audição AFiada

É a habilidade mais usada para detectar presas. O tubarão consegue ouvir o som de um peixe ferido a mais de meio quilômetro de distância. Suas orelhas são pequenos buracos no topo da cabeça, que levam a canais semicirculares – órgãos que também avaliam a aceleração do tubarão e dão a ele mais equilíbrio

 

Armadura natural

O couro é revestido por uma camada de microscópicas estruturas pontiagudas. Elas possuem a mesma estrutura dos dentes e se repõem durante toda a vida, protegendo o tubarão contra possíveis ataques e aumentando ainda mais sua hidrodinâmica

 

Aquecedor sangÜÍneo

Apesar de ser um animal de sangue frio, o tubarão branco consegue manter algumas partes do corpo – como os músculos e as vísceras – até 13 graus centígrados mais quentes que o mar para que elas funcionem melhor. O truque é reaproveitar o sangue aquecido (em vermelho) pela atividade dos músculos e fazê-lo passar próximo às artérias (em azul) que seguem em direção ao corpo, transferindo para elas o seu calor

 

Radar Subaquático

Todo o corpo é percorrido pela chamada linha lateral: canais cheios de fluido, escondidos sob a pele, onde estão células sensoras especiais. Elas captam variações mínimas nas correntes de água e identificam, a dezenas de metros, um peixe ferido pelo modo como ele nada

Bocarra feita para estraçalhar

Arcadas dentárias do tubarão têm um mecanismo único

A mandíbula – composta de várias fileiras de dentes serrilhados e afiadíssimos – tem a capacidade de se projetar para fora do crânio, aumentando a eficiência da mordida

 

Ao se aproximar de uma presa, o tubarão ergue o nariz, desloca para a frente a arcada superior e abaixa a inferior. O resultado é uma dentada de quase 1,5 metro, capaz de destruir várias presas por inteiro

Pega, rasga e solta

Tubarão branco adota estratégia especial para presas grandes

1 - O tubarão branco se aproxima da vítima próximo ao fundo do mar, para que o seu dorso escuro se confunda com o chão e não seja percebido pela vítima

 

2 - Ele utiliza sua agilidade para surpreender o leão- marinho, abocanha-o da forma mais forte que puder e ainda sacode a cabeça para aumentar as feridas

 

3 - O leão-marinho é carregado até o fundo do mar e solto logo em seguida. Assim, ele se enfraquece sem chance de revidar com suas unhas e dentes

 

4 - Fragilizada, a presa torna-se vulnerável a novos ataques, que podem se suceder por horas até que ela morra e seja deixada para trás por seu bando

Gigante dos mares

Os tubarões são os maiores peixes do mundo

O maior tubarão branco já visto até hoje media 6,5 metros e pesava 2,5 toneladas

 

Fonte:Rafael Kenski