A primeira transa. Como saber se já está na hora?

A primeira transa. Como saber se já está na hora?

 UM PAPO SOBRE A PRIMEIRA RELAÇÃO SEXUAL

 

Não há dúvida que passar pela experiência da primeira relação sexual causa um certo frio na espinha. Também com tanto preconceito, vergonha e medos envolvendo o tema, não era para ser diferente. Querendo exagerar posso dizer que todas as etapas são preocupantes quando o assunto e sexualidade mas, em especial, o momento da primeira relação sexual é o que mais causa ansiedade tanto para rapazes como para as moças. É claro que alguns jovens passam por esta experiência de forma tranqüila e sem maiores preocupações. Mas a maioria enfrenta algum grau de ansiedade, dependendo do ambiente em que vivem e da forma com que seus amigos e familiares vêem o sexo. Pois quando o assunto é este, as cobranças da família, dos amigos e conhecidos, bem como os tabus sociais terão forte peso. Soma-se a isto a falta de conhecimentos e de diálogo franco com os adultos.

A grande decisão a ser tomada e: “Quando é a época certa para ter a primeira relação sexual?”

Esta resposta só você poderá dar. A decisão é algo estritamente pessoal e você não pode admitir que alguém a tome por você. Toda vez que nos deixamos levar pelas vontades dos outros temos maior chance de nos arrependermos. A melhor forma de achar a resposta certa para a pergunta acima é analisando e escolhendo estes quatro pontos: Motivo, companhia, privacidade, prevenção. Quando você conseguir analisar e determinar estes quatro pontos certamente estará frente a resposta desejada. Para facilitar o seu entendimento vamos avaliar um a um estes pontos.

 

Motivo

A primeira coisa a ser definida é qual o motivo que está lhe levando a ter a 1ª relação sexual. Por vezes nos sentimos induzidos ou forçados por outras pessoas. Tome cuidado com estas pressões. Afinal! Quem está querendo? Você ou ele(a). A vontade de ter sua primeira relação deve ser única e exclusivamente sua. Não aceite fazer sexo só porque ele(a) quer, ou mesmo porque seus(suas) amigos(as) já fizeram e você não pode ficar para traz. Não se deixe pressionar e cuidado com as chantagens do tipo: “Se você não transar comigo eu termino o namoro!”; “Garota moderna transa cedo”; Garoto virgem depois dos q14 só pode ser veado”. Ou até colocações do tipo “Só prostituta transa antes de casar!”.

Há ainda aquelas jovens que fazem sexo só para agredir alguém ou a família ou a própria sociedade. É bom ter cuidado pois ficará difícil voltar atrás caso você se arrependa do que fez.

Você estará pronto(a) para fazer sexo quando o desejo partir de dentro de você. Quando você achar que está na hora e não em decorrência de pressões dos outros. Nunca faça para agradar alguém ou para não perder o namorado, muito menos para agredir.

 

Companhia

    Rapidez com que muitos jovens vivenciam suas experiências muitas vezes os impedem de extrair o máximo de prazer das relações a dois. Alguns chegam numa festa, agarram a primeira pessoa que encontram e partem para as vias de fato. No dia seguinte não lembra nem do nome da pessoa, se é que tiveram tempo para perguntar. Outras vezes encontram alguém hoje e em poucos dias, ou horas, já estão na cama. Não posso negar que existem pessoas que se satisfazem com este tipo de relação, mas creio que fazem sexo de uma forma mais instintiva que efetivamente afetiva. É como se estivessem experimentando o funcionamento do corpo e não fazendo sexo na sua forma global.

A primeira vez de uma pessoa merece ser bem curtida para que fique gravada na memória como algo bom e prazeroso. Para tanto deveremos compartilhar este momento com alguém que estejamos envolvidos afetivamente. É aquele lance de gostar, de confiar e de deixar as coisas acontecerem aos poucos. Deixar a intimidade ir crescendo de forma seqüencial até que a relação sexual surja como o próximo passo na descoberta dos corpos. Parece meio idiota aos olhos dos jovens mais apressados, mas o real prazer na relação sexual se alcança quando se está compartilhando o momento com quem se gosta, com quem se está envolvido afetivamente. Como que você vai permitir que um estranho compartilhe com você este momento único? Qual a capacidade dele em saber avaliar se você está gostando ou não, se quer que vá mais rápido ao não, se quer parar ou não. Aqui não importa se a pessoa ficará para sempre com você. Importa que você esteja gostando dele naquele momento. É fundamental haver afeto, envolvimento, carinho entre ambos para se tirar o máximo de proveito desta experiência.

 

Privacidade

Fica um pouco difícil imaginar você extraindo o máximo de sentimento e sensações de um contato mais íntimo a dois sem possuir um mínimo de privacidade. Imagine como deve ser empolgante ter sua primeira experiência numa escadaria do shopping, ou na área dos fundos de uma casa abandonada ou no terreno baldio perto de sua casa, ou quem sabe no meio das dunas de areia da praia no meio da madrugada, etc. etc. etc. É aquela coisa de ficar cuidando para ver se não vai aparecer alguém, se não tem aranhas ou outros bichos, ou ainda ficar desviando dos tijolos ou entulhos atirados pelos lados do leito amoroso. Deve ser algo extremamente excitante um cenário assim. Parece piada, mas são em locais como estes que muitos jovens experimentam o sexo pela primeira vez. Acaba que a conclusão é sempre a mesma: “não pude sentir muito pelo desconforto e preocupação com o que poderia acontecer ou aparecer”.

O adolescente tem o hábito de fazer as coisas no improviso e sempre tentando aproveitar a oportunidade. Já ouvi relatos de jovens que estavam na sala com a namorada e, ao ver a mãe entrar no banho, partiram para o “ataque” sexual pois teriam alguns minutos sem que alguém aparecesse. Agora imaginem quanto tempo sobraria entre decidir, iniciar, ficarem excitados e concluírem o ato antes que a mãe saísse do banho. Coloquem esta situação para uma jovem que nunca teve relações antes e imaginem como será proveitosa e memorável a primeira experiência.

Lembre-se que você não é um animal irracional que faz sexo de forma instintiva e em qualquer lugar. A privacidade lhe permitirá fazer as coisas com calma saboreando cada momento de forma a sentir o envolvimento e as sensações crescendo para então chegar ao clímax que seria a penetração e a busca do prazer final. Esta evolução de sentimentos não pode ser interrompida por pessoas entrando ou saindo, irmãos batendo na porta, ou riscos de assalto, nem mesmo ocorrer em locais desconfortáveis. Volto a ser repetitivo em dizer que o momento certo exige envolvimento, tranqüilidade, privacidade e principalmente afeto. Não falo em uma cama fofa nem em lençóis de seda, mas um lugar seguro, limpo e tranqüilo onde se possa curtir com calma cada momento, na descoberta um do outro através de uma troca constante de carinho, visando absorver o máximo de afeto.

 

Prevenção

É obvio que você só poderá relaxar e aproveitar ao máximo se seu ato não lhe causará qualquer problema futuro. Como problemas futuros considere tanto problemas de saúde como problemas afetivos. Os problemas afetivos estarão prevenidos se você respeitar os itens anteriores - motivo, companhia, privacidade. Os problemas de saúde você pode resolver ou prevenir com a utilização da camisinha e outro método anticoncepcional e tomando os cuidados necessários de higiene e saúde.