Aprenda a não cair nos truques dos estelionatários virtuais

Aprenda a não cair nos truques dos estelionatários virtuais

Como proteger seu micro

Os estelionatários virtuais descobrem situações perfeitas na net para enganar pessoas, roubar dados, dinheiro e entupir e-mails com propaganda indesejada. Aprenda como não cair nessas furadas

 

Cuidado: bandidos virtuais

Estes sujeitos circulam pela internet esperando uma brecha para atacar.

Botnets - A quadrilha de seqüestradores

O que faz: Transformam o pc da vítima em cúmplice para golpes como enviar spams e roubar senhas de banco. O micro passa a responder a comandos remotos do hacker.

Circula em: E-mails. E aproveita brechas de segurança em programas como o Internet Explorer.

Cavalo-de-tróia - O invasor come-quieto

O que faz: Disfarçado de programa inofensivo, ele entra no computador sem chamar a atenção do antivírus. Depois de funcionar, deixa a máquina vulnerável aos ataques dos hackers.

Circula em: Spams e sites maliciosos que oferecem downloads gratuitos.

 

Keylogger - O trombadinha

O que faz: Registra o que é digitado no teclado sem que a vítima perceba. É usado para roubar dados como senhas de banco e número de cartões de crédito.

Circula em: Sites que simulam sites de bancos. É enviado pelos golpistas depois que o computador foi infectado por vírus, como os do tipo cavalo-de-tróia.

Spyware - O soturno

O que faz: Desde delitos pequenos, como exibir propaganda indesejada, até o roubo de informações pessoais. Age com outros programas maliciosos, como o keylogger e os cavalos-de-tróia.

Circula em: Páginas da internet em geral. Pode ser instalado pelo próprio usuário, que não percebe a armadilha.

Worm - O vírus reloaded

O que faz: Reproduz várias cópias de si mesmo, esgota recursos da máquina, cria excesso de tráfego na rede, apaga ou inutiliza arquivos. Age sozinho: não é preciso você vacilar.

Circula em: E-mails fraudulentos, bate-papo, sites pornôs e ferramentas que pirateiam programas.

Vírus que fizeram história

1986 - Brain

É creditado como o primeiro vírus moderno para computador. Infectava máquinas do tipo pc e era espalhado por meio de disquetes. Seu autor era um paquistanês de 19 anos.

1991 - Michelangelo

Feito para o sistema DOS, o vírus foi espalhado para comemorar o aniversário do famoso artista e começava a estragar disquetes e discos rígidos a partir do dia 6 de março, a data do aniversário.

1999 - Melissa

Se replicou de tal forma que acabou atrapalhando o tráfego de e-mails na internet. Segundo estimativas, o Melissa causou mais de US$ 80 milhões em prejuízos.

2000 - I Love You

Espalhado por e-mail, como se fosse uma carta de amor, o vírus foi uma das primeiras pragas globais: infectou micros em todo o mundo, incluindo os computadores da CIA e do FBI.

2003 - SoBig

Considerado como um dos vírus mais danosos da história, o SoBig causou mais de US$ 40 bilhões em prejuízos, segundo números da empresa Mi2g.

 

Prepare suas armas

Não adianta usar só uma delas! você precisa de todo este arsenal para sobreviver no mundo online

ANTIVÍRU

O que é? É um programa que procura, reconhece e elimina os vírus – softwares com finalidades nocivas, que apagam arquivos ou impedem o uso normal do sistema operacional.

como funciona? Com base em uma lista de características dos vírus, faz uma revista nos documentos armazenados e checa arquivos que instalam coisas na máquina.

Resolve tudo sozinho? Não. Com a velocidade com que novas ameaças aparecem e a variedade de novos golpes, o antivírus precisa da ajuda de um anti-spyware e de um firewall (nossos amigos ao lado...).

onde eu arrumo um? Existem antivírus pagos, como McAfee VirusScan e Symantec Norton. Na net você pode baixar grátis os ótimos AVG (www.avgbrasil.com.br) e Avast! (www.avast.com).

ANTI-SPYWARE

O que é? É um programa que age contra os spywares, programas sorrateiros que se instalam na máquina e cumprem vários objetivos nocivos, como roubar senhas discretamente.

Spyware é pior que vírus? É o mais usado pelos golpistas. Mas alguns executam tarefas menos ardilosas, como mostrar propaganda sem solicitação.

Anti-spyware substitui o antivírus? Não. Uma ferramenta complementa a outra. Tanto os spywares quanto os vírus podem tocar o terror no seu computador, com estratégias diferentes.

Onde eu arrumo um? Empresas vendem pacotes que trazem antivírus, anti-spyware e firewall. Baixe grátis o Ad-Aware (www.lavasoftusa.com) ou o Spybot Search and Destroy (www.spybot.info).

FIREWALL

O que é? É um programa que analisa a origem e o destino dos dados que chegam da net e, assim, detecta softwares estranhos, como os que mandam e-mails sem ordem do usuário.

Atrapalha outros programas? Se a configuração dele estiver equivocada, o firewall pode barrar programas confiáveis recém-instalados.

É difícil de mexer? Os ajustes básicos são simples: você permite ou proíbe que um programa se comunique com a internet. Geralmente, ele reconhece programas confiáveis como o Outlook e o Explorer.

Onde eu arrumo um? No Windows XP e no Vista, o firewall já vem instalado. Basta ativá-lo no “Painel de controle”. Também é possível baixar grátis o ZoneAlarm (www.zonelabs.com).

É MELHOR PREVENIR...

Como se o computador fosse sua casa: não adianta investir em tecnologia e, no final das contas, se distrair e deixar portas abertas. Veja algumas dicas para não dar mole:

• Atualize todos os programas de segurança e o Windows sempre que novas versões forem lançadas.

• Não abra documentos baixados da internet antes de fazer uma verificação com o antivírus.

• Antes de clicar num link veja o seu endereço real, olhando a barra que fica na parte inferior do navegador.

• Use combinações de números e letras em suas senhas. Quanto mais longa e complexa for a seqüência, melhor.

• Bancos e agências do governo não enviam e-mails com cobranças. Não abra esse tipo de correspondência, é golpe.

• Se for fazer compras em lojas virtuais, preste atenção em todos os detalhes do site, ele pode ser uma versão falsa, feita para enganá-lo.

• Se algum amigo seu lhe mandar um link pelo MSN, pergunte, antes de abrir, se é ele quem está mandando mesmo.

 

Fonte:Super