Cresce a emissão de cheques sem fundos por empresas

Cresce a emissão de cheques sem fundos por empresas

São Paulo – O número de cheques emitidos por empresas que são devolvidos por falta de fundos está crescendo e já pode ser um sinal de desaceleração da economia brasileira.

 

Não se trata de um efeito das novas turbulências internacionais, mas do aperto monetário promovido pelo Banco Central no primeiro semestre.

Um estudo da Boa Vista Serviços, publicado em primeira mão por EXAME.com, mostra que as devoluções de cheques de pessoas jurídicas cresceram 6,48% entre janeiro e julho deste ano em relação ao mesmo período de 2010.

Quando se olha apenas o mês de julho, o crescimento é ainda maior, de 14,9% (veja gráfico na próxima página com a trajetória desde 2007). Um cheque só é considerado sem fundos após a segunda devolução.

Pesquisa da Boa Vista Serviços mostra que o volume aumentou quase 6,5% entre janeiro e julho deste ano

“Historicamente, a pessoa jurídica é a primeira que responde aos movimentos da economia. Quando há uma tendência de aumento na devolução de cheques, o dado da pessoa jurídica aponta para esse aumento primeiro.”, diz Fernando Cosenza, superintendente de sustentabilidade da Boa Vista Serviços.

Cosenza lembra que, no total de cheques sem fundos, há o predomínio de pequenas e médias empresas. “São estabelecimentos que têm muita instabilidade nas receitas. Ao contrário de um trabalhador com carteira registrada que tem o salário garantido no começo do mês, as pequenas empresas dependem das vendas para pagar os fornecedores e funcionários.”