Jovens podem ajudar famílias a planejar orçamento doméstico

Jovens podem ajudar famílias a planejar orçamento doméstico

Mara Luquet responde à dúvida de adolescente que quer começar a investir.
Baixe uma planilha de orçamento e dicas para iniciar no mercado de ações.

 

 

Daniel Mendes completará 16 anos no próximo mês de

junho. Ele já tirou a carteira de trabalho e começou a procurar emprego. Sua motivação é ajudar a mãe nas despesas de casa, mas não só isso. O jovem tem planos de construir um patrimônio para o futuro. Mas ainda não conquistou o consentimento da mãe.

As dúvidas do Daniel são basicamente duas: como se organizar e como investir (veja vídeo).
Mesmo que a mãe não o deixe trabalhar ou se o emprego demorar a aparecer, Daniel pode desde já a ajudar em casa. Para jovens, a maior contribuição em casa não é monetária, mas fundamentalmente participar do planejamento financeiro.

Ao ajudar a mãe com informações para construir um orçamento doméstico sustentável, Daniel dará uma enorme contribuição para o caixa da família e ainda aprenderá ele próprio a cultivar hábitos financeiros saudáveis que vão acompanhá-lo por toda a vida adulta.

 

Quando o assunto é dinheiro e criança, não se pode esquecer:

1- Quanto mais cedo começar a investir, menor precisará ser o esforço para formar um patrimônio, pois as taxas compostas no longo prazo têm o mesmo efeito de uma bola de neve.

2- Quanto mais jovem, mais indicado é o mercado de ações. Crianças podem e devem investir em ações, segundo os consultores financeiros, porque têm o tempo a seu favor. Ou seja, como se trata de investimento de longo prazo aumenta fortemente a chance de sucesso.

3- Educação financeira é como escovar os dentes, quanto mais cedo a criança aprender, mais rápido se tornará um hábito. Então o mais importante para o jovem não é começar a trabalhar, mas fundamentalmente participar da construção do orçamento doméstico.

 

 

Fonte:Mara Luquet

 

 

 

 

Fonte: