Qual a diferença entre Paraolimpíadas e Special Olympics?

Qual a diferença entre Paraolimpíadas e Special Olympics?

As Paraolimpíadas foram criadas para deficientes físicos, enquanto as Olimpíadas Especiais (atualmente chamadas pelo nome em inglês, Special Olympics, ou pela sigla SO) surgiram para deficientes intelectuais. Hoje em dia, ambas abrem espaço para os dois tipos de atleta, mas a ênfase original de cada uma permanece (nas Paraolimpíadas, por exemplo, só natação, atletismo e tênis de mesa contêm classifi cação para deficientes intelectuais).

Outra diferença é que as Special Olympics têm um caráter mais inclusivo e menos competitivo. Criadas em 1968, elas ganham uma nova edição este ano, de 25 de junho a 4 de julho, em Atenas, Grécia. O evento reunirá 7.500 atletas – 50 deles, brasileiros.

INCLUSÃO PELO ESPORTE

Conheça algumas regras e alguns heróis das Special Olympics, que rolam este mês em Atenas

TEM PARA TODOS

Neste ano, serão 22 esportes. Quatro são exclusivos: bocha, boliche, patins e softball. Os outros 18 também estão na Olimpíada regular: atletismo, badminton, basquete, caiaque, ciclismo, hipismo, futebol, golfe, handebol, judô, ginástica artística, ginástica rítmica, levantamento de peso, natação, tênis de mesa, tênis, vela e vôlei. Ainda há dois esportes de exibição (natação em mar aberto e vôlei de praia) e três reconhecidos, mas sem competições (críquete, floorball e netball)

MONTANDO OS TIMES

As SO aceitam defi cientes intelectuais acima de 8 anos, não importando se a pessoa também apresenta defi ciências físicas. Os atletas são divididos por gênero, faixa etária e habilidade (determinada pela pontuação em torneios qualificatórios ou em testes específicos). A formação e o confronto dos times também respeitam os níveis de habilidade. Ao longo do torneio, também acontecem atividades lúdicas e programas de treinamento da coordenação motora.

OS DONOS DA BOLA

O evento é promovido por uma fundação sem fins lucrativos, a Joseph P. Kennedy Jr. Foundation. O Comitê Olímpico Internacional (organizador dos Jogos Olímpicos) apenas reconhece as SO e permite o uso do termo “Olympics”. A primeira edição internacional foi em 1970, mas elas só passaram a ocorrer a cada quatro anos a partir de 1975.

COROA DE LOUROS

A americana Loretta Claiborne é considerada um dos expoentes das SO: além de uma dúzia de medalhas em diferentes edições dos jogos, ela já correu 25 maratonas regulares e terminou duas vezes entre as 100 melhores da Maratona de Boston.Outro grande exemplo é o medalhista Eduardo Jose Rodriguez Herrera, da Guatemala, que já competiu em 11 provas regulares de triatlo Ironman

SIMPLIFICADO, MAS NEM TANTO

Em cada esporte, há modalidades adaptadas (a maioria) e não adaptadas, para combinar inclusão com desafio. No futebol, por exemplo, há uma versão com as regras da Fifa e outras em que as dimensões do campo são menores, com sete ou cinco jogadores por time. Já na vela, há níveis mais baixos (com técnicos manejando os barcos) e mais elevados (com atletas especiais no controle)

TORÇA PELO BRASIL!

Nossa delegação será composta de 50 atletas e 17 técnicos. Muitos deles passaram por eventos, competições e campeonatos estaduais e nacionais organizados pelo braço brasileiro das SO. Aqui, já se praticam nove esportes: atletismo, basquete, bocha, futebol, natação, ginástica rítmica, tênis, tênis de mesa e hóquei sobre piso.

Há planos para a primeira Copa do Mundo de Futebol das Special Olympics, em 2013. Só não se sabe se o Brasil será a sede...

FONTES specialolympics.org, paraolympics.org, olympic.org e jpkf.org

CONSULTORES Paulo Fonseca, presidente da Special Olympics Brasil e Jon-Paul St. Germain, diretor-sênior de desenvolvimento de esportes e competições das Special Olympics internacional

 

 

Fonte:Bruno Lazaretti