Somos mais felizes depois dos 50 anos

Somos mais felizes depois dos 50 anos

Só na curtição

É aos 50 anos de idade, de acordo com um estudo do Departamento de Psiquiatria e Ciência Comportamental da Universidade de Stony Brook, em Nova Iorque, que a fase mais feliz da vida começa. Ou seja: você não precisa mesmo ficar com medo de envelhecer – e nem esperar até os  74 pela alegria geral.

Os resultados – publicados no Proceedings of the National Academy of Sciences – apontam que é nessa fase que os níveis de estresse,  preocupação, irritação e tristeza começam a cair drasticamente. Isso acontece, segundo o líder do estudo, o Dr. Arthur Stone, porque os mais velhos conseguem “regular” melhor as emoções. Além disso, eles tendem a se prender menos do que os jovens às memórias ruins.

O método da pesquisa: cerca de 340 mil norte-americanos com idades entre 18 e 85 anos foram entrevistados por telefone. Eles avaliaram suas próprias vidas de 0 (“odeio a minha vida!!”) a 10 (“eu não poderia estar mais feliz”). Depois, apontaram por quais estados emocionais (alegria, prazer, estresse, tristeza, raiva e preocupação) tinham passado nos últimos tempos.

Os sentimentos positivos, diferentemente dos negativos, apresentaram menos variação ao longo da vida. E, embora o padrão de bem-estar registrado tenha sido similar entre homens e mulheres, o sexo feminino relatou mais tristeza, estresse e preocupação do que o masculino.

Em tempo: sabe qual é a fase mais estressante da vida? Entre os 22 e os 25 anos. A irritabilidade, segundo o Dr. Stone, em geral tem seu pico na adolescência, enquanto a tristeza torna-se mais expressiva na casa dos 40 – antes de cair de vez quando os felizes 50 chegam.

 

 

Fonte:Thiago Perin